Como lidar com as diferenças culturais em uma equipe

como-lidar-diferencas-culturais-equipe.jpg

Com a globalização, as diferenças culturais entre os profissionais que compõem uma equipe estão cada vez mais evidentes. Pessoas de diferentes regiões e países, com diversidades, acabam atuando juntas. Esse fator agrega valor ao mundo corporativo, porém é um dos grandes desafios a serem enfrentados por quem atua na liderança.

Conhecendo o perfil dos seus funcionários

O líder que acompanhar as mudanças em um ritmo acelerado deve estar preparado para conhecer a sua equipe e conseguir usar todas as diferenças culturais em favor do crescimento corporativo.

O autor Hofstede trabalha essa questão desde 1980 e se tornou referência quando o assunto é diferenças culturais, com a realização de diversas pesquisas, que usaram como foco as diferenças. Através desses estudos, foram encontrados cinco dimensões de diferenças culturais, e observou-se que cada dimensão é mais presente em pessoas com origens em determinados países, porém vamos analisar como o brasileiro é observado segundo essa pesquisa:

  • Individualismo x coletivismo:  Tendência a ser coletivista, desconfiando das pessoas e tendo família e amigos como pessoas próximas.
  • Distância do Poder: A distância com o poder vai depender da qualificação profissional. Quanto maior a qualificação, maiores serão as expectativas de poder.
  • Convivência com Incertezas: O brasileiro tende a ser detalhista e rígido com o trabalho, evita conflito e os líderes possuem autonomia restrita.
  • Masculinidade sobre feminilidade: A masculinidade é menor que a média dos outros países. Ou seja,  aquela cultura de que homem deve ser decidido, duro e assertivo, não é tão exagerada.
  • Orientação de curto prazo: A perspectiva tem relação com o curto prazo, com pouco planejamento e soluções que surgem de acordo com a necessidade.

Quem convive com diferentes nacionalidades, deve aproveitar para ler um pouco mais sobre cada país, tentar conhecer e enturmar o funcionário com naturalidade dentro da equipe. O bom líder é aquele que consegue integrar todos os funcionários, rumo a um só objetivo.

Diferenças culturais na equipe

Quando falamos em diversidade, estamos nos referindo às diferentes pessoas que compõem uma equipe, seja por sua cultura, gênero, idade, habilidades, status social,  religião ou orientação sexual. Para uma equipe ter sucesso é preciso que os membros não guardem preconceitos e tenham facilidade para respeitar seus parceiros. Isso é de grande importância para o mundo corporativo, pois quem está na frente da liderança deve saber como motivar a sua equipe e como manter uma postura e comunicação adequadas com um grupo tão seleto e com diferenças culturais.

A diversidade cultural do Brasil é positiva,  no aspecto corporativo, pois somos vistos como um povo que tem facilidade para trabalhar com diferentes grupos culturais, convivendo em harmonia. Os empregos estão cada vez mais exigindo habilidades específicas,  e aqui no Brasil, isso ainda é um problema, que está melhorando todo dia. Portanto, motivar seus funcionários com capacitação pode ser uma saída estratégia.

Outro fator adotado nos últimos anos pelas mais diversas empresas e segmentos foi a valorização da mulher em seu quadro de funcionários, juntamente com profissionais que apresentam alguma deficiência física. Com o envelhecimento saudável da população, também estamos convivendo com pessoas que apresentam maior maturidade,  conhecidos como a terceira idade.

Independente das características dos profissionais que compõem o grupo, o líder deve saber respeitar profissionalmente cada um dos liderados, independente das diferenças culturais, motivando o tratamento  respeitoso e justo para com todos.

Líderes: a busca por profissionais completos

lideres-profissionais-completos

Durante muito tempo a cultura das instituições comerciais bradava aos quatro ventos em processos seletivos: “não queremos chefes, precisamos de líderes!”. Influenciada pela campanha militar nas organizações, desde a febre de Sun Tzu, abraçaram a causa da hierarquia emocional. Mas o mito do líder perfeito logo foi desvendado e as empresas caíram em si: um líder sem uma chefia efetiva e gerenciamento pleno não se encaixa em qualquer sistema organizacional.

Não queremos chefes, precisamos de líderes!

O clamor inicial por líderes na ponta das equipes e no cuidado humano diário dentro das empresas foi genuíno, e teve raízes em teorias ideais e necessidades gritantes. Companhias de qualquer segmento necessitam de chefes que consigam Leia mais…