Otimismo demais no planejamento pode ser prejudicial?

otimismo-planejamento-prejudicial.jpgJá dizia o biólogo Paracelso: “A dose certa diferencia um veneno do remédio” – e com o planejamento não é diferente, tudo que é exagerado é prejudicial e pode sim influenciar as decisões importantes.

Importância do planejamento

Ao empreender é preciso esforço para conseguir realizar um planejamento realista e evitar o insucesso. Isso vale também pra qualquer projeto em que estamos engajados dentro do ambiente profissional.

Um elevado número de empresas abre falências antes mesmo de conseguir recuperar o capital investido, isto pode ser explicado pelos erros cometidos durante o planejamento e a tomada de decisão. Isso porque muitos executivos costumam criar planejamentos que se baseiam em pensamentos otimistas, fugindo dos dados estatísticos e das reais probabilidades.

Quem não está preparado para lidar com a incerteza acaba tendo resultados desastrosos. Além disso, outros aspectos podem ser responsáveis por esses equívocos:

  • Maus resultados são inevitáveis. Por isso, conhecer os riscos é fundamental.
  • Caminhe com os pés na realidade e aceite as probabilidades.
  • Seja paciente no atingimento de metas, algumas conquistas a longo prazo acabam compensando perdas e fracassos de curto prazo.
  • Assuma riscos razoáveis, isso é parte do processo de investimento em um novo projeto.

Como identificar o otimismo exagerado no planejamento?

A maioria das pessoas tendem a ser otimistas grande parte do tempo, exagerando sobre seus talentos e acreditando ter características acima da média. Isso nos leva a crer que é comum encontrar gestores e líderes que sejam influenciados por esse comportamento.

O otimismo exagerado pode ser responsável por certos delírios, gerando erros de cálculo e erros em potenciais que podem mudar o trajeto de uma empresa.

Ao elaborar um planejamento é necessário evitar superestimar benefícios e custos, para evitar o fracasso. Alguns sinais podem ajudar a identificar se os líderes da organização estão sofrendo de otimismo exagerado:

Metas: Observe as metas traçadas no planejamento: quando ela é alta demais, pode ser um sinal de autoconfiança exagerada, baseada no otimismo. O ideal é que qualquer projeto que esteja em fase inicial tenha uma meta pequena e vá aumentando conforme aumente o equilíbrio entre os recursos, a equipe e os resultados obtidos. Ao perceber que a meta é impossível de ser alcançada, é recomendado que o profissional espere o momento certo para abordar seu gestor sobre o assunto e tenha números e argumentos em mãos para conseguir negociar uma meta realista.

Pressões organizacionais: Quando as metas são elaboradas fora da realidade, é comum que líderes e gestores, influenciados pelo otimismo, criem uma pressão exagerada sobre seus subordinados, com a finalidade de forçar o alcance destas metas. O uso deste recurso é uma conduta incoerente, porque demonstra insegurança quanto ao planejamento traçado.

Confiabilidade das previsões: Como gestor, é importante sempre avaliar se as previsões realizadas são confiáveis. Use previsões que demonstrem coerência com a realidade corporativa, fazendo uso de uma análise estatística que convença seus subordinados e superiores. Os resultados devem ser o principal canal para definir a confiabilidade das previsões traçadas no planejamento.

Correção: Quem vive com otimismo exacerbado acredita que não precisa corrigir nenhum item do seu planejamento. Não caia nesse erro! Não tenha receio de corrigir ou mudar as estatísticas elaboradas. Mantenha todos os seus subordinados informados quanto ao andamento e as mudanças de metas, isso demonstra respeito e confiança em sua equipe.

Sobre Vanessa Alonso

Mestranda em Ciências dos Alimentos na UNICAMP, pesquisadora, redatora, webwriter, blogueira, estudante de Marketing e curiosa. Possui experiência em outras áreas: área comercial (prospecção, vendas e liderança de equipe) e administrativa.
Perfil no Google+

DEIXE SUA OPINIÃO

*