Inovação reversa nas empresas

inovacao-reversa.jpgJá ouviu falar em inovação reversa?  No começo, as grandes indústrias inovavam em países ricos e vendiam os produtos em países pobres, agora o caminho é reverso. Com isso, surge uma grande oportunidade de aprendizagem.

O que as empresas buscam com a inovação reversa

As empresas buscam rever suas linhas de produtos e os limites impostos pelas operações atuais. Com isso, passa existir a necessidade de profissionais que estejam preparados para projetar e produzir produtos com design inovador, tecnologia de ponta e que contribuam para solucionar desafios mundiais.

O setor de desenvolvimento de novos produtos deve preocupar-se em criar soluções e produtos de alta performance, unindo a pesquisa acadêmica aos recursos limitados, que são realidades dos países emergentes, responsáveis hoje pela produção em massa de diferentes produtos em inúmeros segmentos. Algumas empresas já estão conseguindo vencer os desafios impostos por estes mercados, que são conhecidos pelo pouco recurso, oferecendo produtos de alta performance, utilizando a inovação reversa.

Grandes universidades têm voltado o pensamento para essa nova estratégia corporativa, buscando formar profissionais preparados para lidar com a inovação reversa e oferecendo pesquisas em conjunto com determinadas organizações.

O baixo custo desses novos produtos e o uso de tecnologia é outra preocupação real, quando falamos em inovação reversa.

Motivos para investir em inovação reversa

Inovar modelos de negócios é uma preocupação real no mercado corporativo e quem empreende deve estar preocupado em agir de acordo com essa tendência. As empresas que inovam conseguem crescer, aumentar o lucro e ampliar o mercado em que atuam, atingindo novos consumidores.

As restrições existentes na vida das pessoas que apresentam baixo poder aquisitivo e, ao mesmo tempo, a procura por produtos com alta tecnologia e que atendam as suas necessidades, impulsionam esse tipo de postura, fazendo com que produtos de alto desempenho e baixo custo sejam lançados pelas indústrias.

O mais interessante é que os produtos desenvolvidos com a inovação reversa acabam sendo implantados também nos produtos considerados de luxo. Um exemplo foi o sistema automotivo produzido pela Harman Internacional Industries, nos Estados Unidos, que lançou um sistema simples e barato para carros que eram vendidos aos mercados emergentes e que passaram também a ser utilizados em carros de luxo.

As novas aplicações oferecem crescimento às empresas e facilitam a vida das pessoas com menos recursos financeiros. O resultado final deve ser um   produto que atenda a necessidade tecnológica e que seja vendido por um preço acessível.  A inovação reversa contribui para encontrar diferentes e valiosas ideias com impacto global.

Universidades e organizações passam por um momento de transformação. Para conseguir vivenciar a inovação reversa é preciso que a cultura corporativa seja modificada e adequada a esse novo padrão.

Dentre as mudanças necessárias, é preciso preparar líderes e gestores, que estejam dispostos a disseminar as novas ideias dentro da organização, reformulando estruturas, desenvolvendo novos métodos de produção e reorientando as forças de vendas.

Para ter sucesso é preciso preparar a organização para grandes mudanças.

Sobre Vanessa Alonso

Mestranda em Ciências dos Alimentos na UNICAMP, pesquisadora, redatora, webwriter, blogueira, estudante de Marketing e curiosa. Possui experiência em outras áreas: área comercial (prospecção, vendas e liderança de equipe) e administrativa.
Perfil no Google+

DEIXE SUA OPINIÃO

*