Excesso de trabalho e estresse profissional

excesso-trabalho-estresse-profissional.jpgExcesso de trabalho não é sinônimo de qualidade, pelo contrário, pode ser um sinal de que algo não está indo muito bem dentro da sua organização e da gestão de tempo. Um ambiente saudável deve evitar o estresse profissional, a pressão excessiva, pois isso não ajuda a melhorar a produtividade.

Problemas causados pelo estresse profissional

Muitas organizações ainda sobrecarregam seus profissionais, aumentando o índice de doenças como depressão e ansiedade. O estresse profissional acontece por vários motivos, inclusive pela dificuldade de equilibrar o fluxo do trabalho, pelas mudanças rápidas do mercado, aumento da concorrência e cobranças sobre a qualidade do trabalho, tudo isso diante da oferta de profissionais no mercado.

Aumentou muito nos últimos anos, o número de profissionais que buscam consulta médica para tratar de estresse ou doenças derivadas desse mal, o que reduz a produtividade, aumenta o absenteísmo e o custo com os cuidados de saúde.

O estresse até é considerado motivador, quando ele está em um nível em que ajuda o trabalhador a se movimentar e a manter um fluxo de trabalho contínuo e de qualidade. Quando ele se torna excessivo, vai prejudicar todo o sistema. Algumas empresas investem em práticas de relaxamento e exercícios de ginástica laboral para ajudar seus funcionários a relaxar, porém, só esse tipo de ajuda não é suficiente.

Ganham destaque no mercado, as organizações que ensinam seus profissionais a utilizar o estresse ao seu favor, beneficiando os resultados. A quantidade de estresse deve ser regulada pelo gerente, que deve proporcionar que exista no seu ambiente de trabalho um fluxo de troca de informações, com a finalidade de melhorar a produtividade.

Como gerir o estresse profissional

O estresse destrutivo é ruim, porém, quando controlado, ele ajuda a equipe na busca por energia e pode favorecer a adaptação e resultados positivos.  Manter o foco é importante para que isso aconteça. Além disso, são necessários outros cuidados, como:

  1. Organização: O profissional que consegue manter o seu ambiente de trabalho e a sua rotina organizada, evita perder tempo. Aperfeiçoar o tempo e saber gerí-lo é fundamental no controle do estresse profissional. Observe a sua rotina e crie uma planilha para gerir o seu tempo, organizando quanto você irá gastar em cada tarefa. Em seguida, crie metas possíveis de serem alcançadas. Organização envolve o controle do tempo e, também, a ordem da execução dos projetos.
  2. Prazo: Não prejudique a sua imagem com atraso nos projetos, cuide para cumprir com os prazos e ter uma rotina que facilite o desenvolvimento do seu trabalho. Se for preciso, use 10 minutos, antes ou depois do expediente, para resolver algum problema ou situação que possa prejudicar a rotina do dia seguinte. Mas não faça disso um hábito para que não contribua com o estresse profissional.
  3. Comunicação: Manter a comunicação com a equipe, e com todos os pares no trabalho, é essencial para evitar problemas e confusão. Ao ter dúvidas, pergunte; ao encontrar um problema, questione; ao se sentir sobrecarregado, peça ajuda e tente manter a calma e terminar as suas tarefas sempre com qualidade, mantendo um ritmo saudável para a sua vida profissional.
Sobre Vanessa Alonso

Mestranda em Ciências dos Alimentos na UNICAMP, pesquisadora, redatora, webwriter, blogueira, estudante de Marketing e curiosa. Possui experiência em outras áreas: área comercial (prospecção, vendas e liderança de equipe) e administrativa.
Perfil no Google+

DEIXE SUA OPINIÃO

*